Piloto e filho do ex-prefeito de Anápolis Eurípedes Junqueira, Victor Junqueira, de 24 anos, será investigado por agredir a namorada, uma advogada de 26 anos. Um vídeo, gravado pela vítima no último dia 14 de dezembro com uma câmera escondida, foi compartilhado nas redes sociais nesta segunda-feira (24) e mostra a jovem recebendo tapas, sendo segurada pelo pescoço e também recebendo um murro na cabeça. Apesar de as imagens terem viralizado, a advogada afirmou que não permite o compartilhamento e a divulgação. O caso será investigado pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam).

A ocorrência policial foi registrada no dia 15 de dezembro. Os dois começam o vídeo chorando e o namorado questiona porque ela não insistiu para que ele ficasse com ela quando se despediram na porta do prédio. Ela ainda questiona: “você acha justo me bater?”. Ele responde dizendo que é injusto, mas que pelo menos acabou. Em seguida, inicia as agressões enquanto a vítima pede trégua.

No meio da discussão, ela fala: “Você é louco, vai me matar desse jeito. Para de besteira”. Ele revida com um aperto no pescoço, vários tapas e um murro na cabeça. Depois disso, ela continua: “Para, você vai me matar. Você me deu um murro na cabeça. Você é louco?”. O vídeo teria sido gravado no apartamento da advogada, no Setor Marista, em Goiânia.

Victor excluiu as redes sociais e a namorada que já estava no relacionamento há aproximadamente 3 anos, utilizou os stories do Instagram para falar mais sobre o caso e pedir que o vídeo não seja compartilhado: “Acredito que muitos já estão sabendo do ocorrido e agradeço o apoio de todos, mas não autorizei e não autorizo a divulgação desses vídeos. A pessoas que teve acesso foi sem a minha autorização e divulgou sem medir as consequências e sem a minha permissão. Eu não quero vingança, eu só quero justiça”, diz.

Também diz que a divulgação só causa mais dor a ela e à família. “As medidas cabíveis contra o agressor já foram feitas. Ele já foi denunciado no dia da agressão e irá pagar pelo que fez na Justiça. Meu namoro não foi de agressão, ele teve um surto e irá pagar pelo que fez. Eu só peço respeito”, finaliza.

A reportagem não conseguiu contato com Victor, mas o espaço está aberto para posicionamento.